quinta-feira, 26 de junho de 2008

Provérbios

O Provérbio ou ditado popular expressa de uma forma sucinta uma idéia ou pensamento. Quantas vezes fazemos uso dos provérbios em casa, na rua, na escola, na faculdade? Estes são retomados e usados pelo povo em geral, cristalizando-se na memória do povo. Interessante a dimensão espaço temporal que possuem. Eles ultrapassam regiões, países, séculos. Assim quando alguém cita um provérbio ele utiliza em suas palavras expressões da sociedade.Utilizamos essas expressões muitas vezes sem nos atentarmos para sua origem, para sua ideologia. Quando por exemplo, alguém se utiliza da expressão filho de peixe, peixinho é o que está por trás desta frase, o que a originou, e o porquê dela ter sido tão disseminada? Na verdade são frases curtas e simples que carregam uma grande experiência e um grande teor ideológico.
Um aspecto interessante quanto aos provérbios é seu caráter antagônico como “Longe dos olhos, perto do coração”, “O que os olhos não vêem, o coração não sente”; “As roupas não fazem o homem”, “O alfaiate faz o homem” “Nunca é tarde para aprender”, “Cachorro velho não aprende novos truques”, “Ruim com ele, pior sem ele”, “Antes só do que mal acompanhado” e assim por diante. Como sabemos os provérbios fazem parte da cultura oral, assim ele pode sofrer variações, se diversificando do então original como: “Quem tem boca vai a Roma” enquanto a origem é “ Quem tem boca vaia a Roma”
Uma boa atividade que os professores de Língua Portuguesa podem desenvolver´é a seguinte:Após a discussão sobre os provérbios, dividir a sala em grupos eentregar a cada equipe um provérbio ex.: "filho de peixe, peixinho é " e pedir que construa uma história com base nesse provérbio ( uma situação em que este provébio se faz presente) sem mencioná-lo na história. Assim cada grupo recebe um provérbio diferente e constrói sua história a partir deste.Os grupos tentarão a partir da história dos colegas descobrir qual o provérbio.

quinta-feira, 5 de junho de 2008

Ortografia

Essa atividade é interessante porque além de ser divertida, você pode trabalhar com ortografia: Emprego do X, Ch, j, G etc

Adivinhas:

1) Sou branquinho e me desmancho todo. Trabalho na escola ensinando a ler e a escrever. Resposta: Giz

2) Sou útil para você, ajudo a proteger. Às vezes sou azeda, às vezes sou doce e suco comigo você gosta de fazer. Sou muito rica em vitamina C.
Resposta: Laranja

3) Sou um objeto muito utilizado, abro, fecho e protejo. Vou dar uma dica pra você começo com a letra C.
Resposta: Chave

4) Algumas pessoas me utilizam para fumar. Uma pista vou te dar, um que vive doido a me querer é o saci-pererê. Sou o...
Resposta: Cachimbo

5) Sou um pequeno objeto que na cozinha você vai encontrar, comigo você pode tomar café ou chá.
Resposta: Xícara

6) Tenho o pescoço longo e grandes alturas posso alcançar. Gosto de comer folhas e no zoológico você pode me encontrar.
Resposta: Girafa

7) Não sou dinheiro, mas também posso comprar. Se você me tiver, compras comigo você pode pagar.
Resposta: Cheque

8) Sou usado na cabeça e do sol posso proteger, posso ser de palha ou de couro, depende para que vão me querer.
Resposta: Chapéu

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Teste seus comhecimentos

Esse teste é muito interessante para fazer com os alunos, mostra como anda o nível de raciocínio deles.

1) Alguns meses têm 31 dias. Quantos meses têm 28?
2) Um homem que vive no México pode ser enterrado nos Estados Unidos?
3) É permitido que um homem se case com a irmã de sua viúva?

4) Se há 3 maças e você pega duas, com quantas fica?
a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5

5) Um doutor te dá três comprimidos e diz que tome um a cada meia hora. Quanto tempo durará os comprimidos?
a) 1h b) 1h30 c) 2h

6) Um fazendeiro tem 17 carneiros e morrem todos menos 9. Com quantos carneiros fica?
a) 17 b) 6 c) 8 d) 9

7) Quantos animais de cada sexo Moises levou na arca?
a) 0 b) 1 c) 2 d) 3

8) Quantos selos de dois centavos há em uma dúzia?
a) 6 b) 12 c) 24




Respostas
1) 12. Pois todos os meses têm 28 dias
2) Não. Pois ele ainda vive não pode ser enterrado
3) Não. Pois homens mortos não casam
4) 2. São somente as que você pegou
5) 1h. Você toma o primeiro. Toma o segundo meia hora depois e o último em mais hora, por isso 1 hora
6) 9. Se morreram todos menos 9, então ele fica com os 9
7) 0. Pois foi Noé quem estava na arca e não Moises.
8) 12. Uma dúzia de qualquer coisa é sempre 12.

quarta-feira, 9 de abril de 2008

Aquilo






Esse conto de Ricardo Azevedo é muito interessante pra trabalhar com:
O respeito aos diferentes pontos de vista;
A importância de consensos
Relação da linguagem verbal e a não-verbal


O professor pode dividir a sala em grupos e entregar o texto "Aquilo"
Pedir aos alunos para refletir a respeito de quem é aquilo?O que aquilo faz? De onde aquilo veio? etc


Pode pedir para representar aquilo através de imagens. E a partir daí trabalhar a linguagem não-verbal.






AQUILO

Quando aquilo apareceu na cidade, teve gente que levou um susto.
Teve gente que caiu na risada.
Teve gente que tremeu de medo.
E gente que achou uma delícia.
E gente arrancando os cabelos.
E gente soltando rojões.
E gente mordendo a língua, perdendo o sono, gritando viva, roendo as unhas, batendo palma, fugindo apavorada e ainda gente ficando muito, muito, muito feliz.
Uns tinham certeza de que aquilo não podia ser de jeito nenhum.
Outros também tinham certeza. Disseram: — Viva! Que bom! Até que enfim!
Muitos ficaram preocupados. Exigiram que aquilo fosse proibido. Garantiram que aquilo era impossível. Que aquilo era errado. Que aquilo podia ser muito perigoso.
Outros, tranqüilos, festejaram, deram risada, comemoraram e, abraçados, saíram pelas ruas, cantando e dançando felizes da vida.
Alguns, inconformados, resolveram perseguir aquilo. Disseram que aquilo não valia nada. Disseram que era preciso acabar logo com aquilo ou, pelo menos, pegar e mandar aquilo para bem longe.
Muitos defenderam e elogiaram aquilo. Juraram que aquilo era bom. Que aquilo ia ser melhor para todos. Que esperavam aquilo faz tempo. Que aquilo era importante, bonito e precioso.
Alguém decidiu acabar com aquilo de qualquer jeito.
Mas outro alguém disse não!
E foi correndo esconder aquilo devagarinho no fundo do coração.



(Ricardo Azevedo)




Aquilo para meus alunos do estágio é:










domingo, 16 de março de 2008

Sobre o orkut...
A Internet é um meio de comunicação que cresce e se destaca cada vez mais. O mundo nunca esteve tão próximo, podemos obter notícias instantâneas de outros países conversar com qualquer pessoa de qualquer lugar do planeta,publicar nossas idéias que muitas vezes era confidenciada somente aos diários de cadeado e quem sabe até encontrar sua alma gêmea.Entretanto, como tudo na vida a Internet também tem suas desvantagens como propagação de violência, pornografia, preconceito etc.
Na verdade eu estive pensando recentemente muito sobre a Internet e em especial ao orkut, o qual só membro desde fevereiro de 2006.No inicio ouvia as pessoas falando, me perguntavam se eu tinha esse tal de orkut e aí a curiosidade foi tanta que só sosseguei quando abrir um. Tudo muito mágico no início, um novo mundo até então desconhecido, e aí add esse, add aquele e a lista de “amigos” só foi crescendo. No decorrer do tempo mantive laços com aqueles amigos que estavam distantes e fiz outros tantos amigos por meio dessa ferramenta social.
Tenho dado conta ultimamente da falsidade que rola no orkut, pessoas se enganam e são enganadas. As pessoas dizem ser aquilo que não são, copiam frases prontas muitas vezes contraditórias entre si, as pessoas copiam rótulos para si mesmas, aquele tímido se revela uma pessoa extrovertida, o deprimido se torna alegre, o feio se torna belo.A lista de “amigos” vai se agigantando, pessoas que nunca vimos na vida nos faz uma série de perguntas e de elogios, palavras carinhosas de desconhecidos chegam a todo momento.
.Sei de toda falsidade que rola ali, as pessoas dizem “eu te amo” numa facilidade estrondosa, dizem sentir saudades até do que sequer lembra. Embora sabendo de tudo isso, eu gosto do meu mundo azul publico minhas fotos, minhas idéias, faço novas amizades, fortaleço as já existentes, serve como um meio de me comunicar com pessoas que amo e que estão distantes ( pelo menos é mais econômico que telefone) e gosto de me revelar através das comunidades.
Mas ás vezes ao desligar o Pc a solidão bate..Quantos são de fato, nossos amigos? E isso me leva a questionar qual a vantagem desse mundo virtual? Será que nos tornamos mais sociais ou anti-sociais? Podemos acreditar mais na falsidade ou na verdade entre as pessoas? O Orkut é a "futilidade azul", ou ele ajuda nossa vida a ficar um pouco mais colorida, “com você tudo fica blue”.
Acredito que tudo depende do modo como você o encara, do que busca encontrar lá, é preciso saber usar essa ferramenta social, pra não ser usado por ela.
Meu orkut...http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9472747440221111432

quarta-feira, 12 de março de 2008

Leitura

Gostaria compartilhar com vocês algumas reflexões acerca da leitura, memória, e produção textual na vida de todos nós.
Lembro que tive o prazer da leitura despertado por uma professora primária que me incentivava a ler, fazia rodas de leitura na sala de aula, ou mesmo debaixo de uma árvore frondosa no pátio, sempre me emprestava livros e não tinha pressa para que devolvesse e o que mais gostava é que ela não cobrava resumos, reescritas, lia por prazer. Bem, hoje sou Professora de Língua Portuguesa e estudante de Letras, sou uma educadora que tenho o desejo de mudança, o desejo de fazer com que meus alunos encarem o livro como fonte de prazer e enriquecimento cultural.
Ruth Rocha disse que "ler é tão gostoso como namorar" e acredito que ela tem toda razão, desde que possamos ler aquilo que nos agrada sem imposições e cobranças pragmáticas.
Nós professores precisamos refletir de que forma a leitura tem sido passada para nossos alunos, devemos começar transformando a leitura numa atividade livre, tudo que fazemos por obrigação tende a ficar chato, sugiram que seus alunos falem sobre os livros que leram ou até escrevam a respeito, mas lembre-se que essas atividades devem ser opcionais, sem exigências.
É preciso que enquanto educadoras nos empenhamos mais, é necessário que estejamos sempre buscando novas informações, e principalmente é preciso ler mais, caso contrário “o desejo de mudança” será utópico, será irreal. Que tal começar mostrando a seus alunos que através dos livros pode-se descobrir delícias que nem imaginavam, gostosuras fantásticas, prazeres incríveis.Quem sabe venham a descobrir que um bom livro pode ser uma boa companhia Acredito que o livro deve ser visto como fonte de prazer e conhecimento.
Partindo de minhas próprias experiências posso reportar a minha memória de leitor, a qual considero fundamental para reler situações de minha vida. Desde cedo aprendi que mais importante do que decodificar o que está escrito, é dar um sentido ao que leu, é preciso usar a imaginação, os conhecimentos. “A leitura de mundo” é sem sombra de dúvida muito importante no desenvolvimento da leitura da palavra. Lembro-me com imensas saudades de algumas histórias que li, dos contos de Grimm de historias que vim a conhecer. Recordo as viagens que fiz a França em “Os miseráveis” ou para a África em “A morte ronda o Kalahari” e de como me senti detetive ao ler “Droga do amor”, e “A droga da obediência”, como fui a adolescente apaixonada de “A marca de uma lágrima” ou a mulher madura e decidida de “Na margem do Rio Piedra eu sentei e chorei”, o quanto fiquei curiosa para saber se Capitu traiu ou não Bentinho, e do quanto chorei quando a cachorra Baleia foi sacrificada. Com os livros eu vibrei, chorei me decepcionei, contudo aprendi tantas coisas.
Concordo com Fanny Abramovich (...) “ser leitor é ter um caminho absolutamente infinito de descobertas e compreensão do mundo”.

sábado, 8 de março de 2008

Mulher negra


Hoje, dia 8 de março, dia internacional da mulher, dia que ficou registrado na história devido à luta travada pelas operárias por melhores condições de trabalho. Comemoramos neste dia todas as conquistas realizadas pelas mulheres, como o direito de votar e de serem votadas, liberdade de expressão etc. Porém, percebemos que há muito ainda a conquistar.
Falar da mulher, sendo mulher parece tarefa fácil, mas não é. Ser mulher não é difícil só porque temos TPM, cólicas, responsabilidades com a casa, com os filhos, e problemas conjugais. È muito mais complexo. Ser mulher, numa sociedade em que o homem detém o poder, em que existe discriminação e preconceito não é fácil. Poderia falar aqui falar sobre diversas mulheres importantes para o mundo e/ou para o Brasil, tenho certeza que teríamos vários nomes para serem lembrados. Contudo, quero falar sobre a mulher negra brasileira. Gostaria de inferir que se ser mulher não é fácil, imagine ser mulher e negra, num país que continua discriminando as minorias.Recordemos ao passado, aos livros de História mais especificamente, em que a mulher negra brasileira aparece cheia de estereótipos, que enfatizam sua desqualição social,sua "inferioridade"aparece como a escrava, a cozinheira, a “mãe-preta”, aparece com a imagem do corpo sexualizado. A situação da mulher negra brasileira na atualidade mostra um prolongamento da época escravocrata. Cabiam a elas as tarefas domésticas, e cuidados dos filhos dos senhores de engenho E hoje estamos distante disso? Quantas mulheres negras, continuam a ser as domésticas, as empregadas,as babás?Repare, os papéis representados pelas atrizes negras, na maioria das vezes são papéis subservientes, a negra como empregada, prostituta, favelada. Claro, que uma ou outra, fez um papel de protagonista, ou interpretou uma personagem que não fosse empregada, pobre, mas convenhamos num país como o Brasil, em que a população afrodescendente é imensa, isso é ainda muito pouco, ou melhor pouquíssimo. Pesquisas mostram que a mulher negra possui menos nível de escolaridade, trabalha mais, recebe menos, é mais facilmente submetida à condição de pobreza e inferioridade.De fato, percebemos que é constante a discriminação racial na vida dessas mulheres. Entretanto, muitas, buscam estratégias para mostras suas capacidades e competências, para vencer as dificuldades, para superar os estereótipos e preconceitos..Mesmo com tanto preconceito, é fundamental lembrar que muita coisa tem sido feita, é possível perceber a quantidade de mulheres negras nas universidades, em setores profissionais elitizados. Mulheres negras brasileiras que ingressaram na carreira artística como: Glória Maria, Taís Araújo, Alcione, Isabel Filardis e tantas outras, tem nos mostrado constantemente que a mulher negra tem mais que um corpo escultural, tem mais que bumbum, tem talento, esforço pessoal , capacidade de crescer cada vez mais. E quantas mulheres negras anônimas têm feito o mesmo? Certamente muitas.
Ainda há muito preconceito na sociedade brasileira tanto em relação ao gênero: a mulher, como também com a questão étnica: o negro.Imagine, então, como a mulher negra sofreu e/ou tem sofrido com preconceito étnico e de gênero?Nós, mulheres independente de nossa cor, lutamos os 365 dia do ano, contra as desigualdades sociais, superação do preconceito, liberdade de expressão . Lutamos por o direito de sermos respeitadas e lutamos também, é claro, pelo direito de amar e sermos amadas.