sábado, 8 de março de 2008

Mulher negra


Hoje, dia 8 de março, dia internacional da mulher, dia que ficou registrado na história devido à luta travada pelas operárias por melhores condições de trabalho. Comemoramos neste dia todas as conquistas realizadas pelas mulheres, como o direito de votar e de serem votadas, liberdade de expressão etc. Porém, percebemos que há muito ainda a conquistar.
Falar da mulher, sendo mulher parece tarefa fácil, mas não é. Ser mulher não é difícil só porque temos TPM, cólicas, responsabilidades com a casa, com os filhos, e problemas conjugais. È muito mais complexo. Ser mulher, numa sociedade em que o homem detém o poder, em que existe discriminação e preconceito não é fácil. Poderia falar aqui falar sobre diversas mulheres importantes para o mundo e/ou para o Brasil, tenho certeza que teríamos vários nomes para serem lembrados. Contudo, quero falar sobre a mulher negra brasileira. Gostaria de inferir que se ser mulher não é fácil, imagine ser mulher e negra, num país que continua discriminando as minorias.Recordemos ao passado, aos livros de História mais especificamente, em que a mulher negra brasileira aparece cheia de estereótipos, que enfatizam sua desqualição social,sua "inferioridade"aparece como a escrava, a cozinheira, a “mãe-preta”, aparece com a imagem do corpo sexualizado. A situação da mulher negra brasileira na atualidade mostra um prolongamento da época escravocrata. Cabiam a elas as tarefas domésticas, e cuidados dos filhos dos senhores de engenho E hoje estamos distante disso? Quantas mulheres negras, continuam a ser as domésticas, as empregadas,as babás?Repare, os papéis representados pelas atrizes negras, na maioria das vezes são papéis subservientes, a negra como empregada, prostituta, favelada. Claro, que uma ou outra, fez um papel de protagonista, ou interpretou uma personagem que não fosse empregada, pobre, mas convenhamos num país como o Brasil, em que a população afrodescendente é imensa, isso é ainda muito pouco, ou melhor pouquíssimo. Pesquisas mostram que a mulher negra possui menos nível de escolaridade, trabalha mais, recebe menos, é mais facilmente submetida à condição de pobreza e inferioridade.De fato, percebemos que é constante a discriminação racial na vida dessas mulheres. Entretanto, muitas, buscam estratégias para mostras suas capacidades e competências, para vencer as dificuldades, para superar os estereótipos e preconceitos..Mesmo com tanto preconceito, é fundamental lembrar que muita coisa tem sido feita, é possível perceber a quantidade de mulheres negras nas universidades, em setores profissionais elitizados. Mulheres negras brasileiras que ingressaram na carreira artística como: Glória Maria, Taís Araújo, Alcione, Isabel Filardis e tantas outras, tem nos mostrado constantemente que a mulher negra tem mais que um corpo escultural, tem mais que bumbum, tem talento, esforço pessoal , capacidade de crescer cada vez mais. E quantas mulheres negras anônimas têm feito o mesmo? Certamente muitas.
Ainda há muito preconceito na sociedade brasileira tanto em relação ao gênero: a mulher, como também com a questão étnica: o negro.Imagine, então, como a mulher negra sofreu e/ou tem sofrido com preconceito étnico e de gênero?Nós, mulheres independente de nossa cor, lutamos os 365 dia do ano, contra as desigualdades sociais, superação do preconceito, liberdade de expressão . Lutamos por o direito de sermos respeitadas e lutamos também, é claro, pelo direito de amar e sermos amadas.

9 comentários:

Dih da Pâhzinha... disse...

Parabéns a todas as mulheres, em especial a todas que ja sofreram ou sofrem muito como minha propria mãe!!!

Parabéns a todas guerreiras que existem nesse mundo!!!!

Renato Freixeda disse...

um tanto quando recheado de clichÊs
mas eu achei interessante a leitura


feliz dia das mulheres


beijos

bocejo disse...

muito origado pelas palavras!
ótima noite!
darei uma olhada com mais calma em seu blog!

nobreza disse...

Por isso eu só vejo um aspecto positivo em se ter um "dia internacional da mulher": ao menos neste dia há uma reflexão sobrea a condição das mulheres no mundo principalmente a brasileira, mais especificamente à nossa realidade.

E mais ainda sobre as mulheres negras. Você foi muito feliz e sensível ao escrever este post, pois vemos na mídia as mulheres homenageadas: modelos lindas com uma flor em mãos.

Mas quando andamos por aí e principalmente na periferia vemos que a face das mulheres é sofrida, é de luta, nas mãos tem calos e espinhos, e não uma flor. É discriminada, é agredida, é subserviente...

Datas e temas como "dia da mulher", "dia da consciência negra", "dia do meio ambiente" deveriam fazer parte do dia-a-dia da sociedade, e não apenas um só dia dentre os 365 do ano.

bjs e parabéns pelo post!

http://grooeland.blogspot.com

Mateus disse...

A luta feminina é de longe a mais complicada na nossa sociedade. Felizmente, várias etapas dessa luta já foram vencidas. COntudo, ainda existe muito preconceito e machismo contra as mulheres. E a luta nao para...

Tati disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tati disse...

Concordo com o comentário do Renato: achei que seu texto foi construído por uma sucessão de clichês, e por isso faltou espontaneidade. Mas mesmo assim o assunto é válido.

Eu prefiro dizer que nós mulheres somos sentimentalidades superlativas. O resto, que tentem descobrir.

Scliar disse...

Vim ohar seu outro blog... O comentario deixei la no outro! Mas é legal ler tambem os comentarios postados. Abracos.

Fanzine Episódio Cultural disse...

COMO PARTICIPAR NAS EDIÇÕES DO EPISÓDIO CULTURAL?
O Fanzine Episódio Cultural é uma publicação bimestral sem fins lucrativos, distribuído na região sul de Minas Gerais, São Paulo (capital), Belo Horizonte e Salvador-BA. Para participar basta mandar um artigo: poema, um conto, matérias (esporte, arte, sociedade, curiosidades, artesanato, artes plásticas, turismo, biografias, sinopses de livros e filmes, curiosidades, folclore, moda, saúde, esporte, artes cênicas, biografias, etc.) em Times Roman 12.

Mande em anexo uma foto pessoal para que seja publicada juntamente com a matéria. Se desejar, você pode enviar uma imagem correspondente ao assunto abordado. Caso o artigo não seja de sua autoria, favor informar a fonte.

PARA ENTRAR COM CARLOS (Editor)
Facebook: http://www.facebook.com/profile.php?id=1464676950&ref=profile
machadocultural@gmail.com
http://www.fanzineepisodiocultural.blogspot.com